HEGRARN – A LENDA – part2

Publicado: dezembro 1, 2010 em Hegrarn

Sempre esperávamos a vinda do Jovem Ancião lá por meados da terceira estação de cada 2 anos passados mais ou menos em setembro no nosso calendário comum. Ele vinha de suas andanças por Notria, afinal de contas os anciões tinham muitas responsabilidades na natureza da terra, e algumas delas eram bem pessoais, e de fato os fazia por em pratica um pouco da sua poderosa magia da luz, as vezes eles tinham de curar pessoas doentes, alegrar pessoas infelizes e trazer um pouco de paz aos corações muitas vezes cansados de seus dias. E o nosso jovem ancião, o que cuidava da nossa região era maravilhoso em trazer alegria e conforto aos corações, sua presença por si só já era um tanto engraçada e marcante; Primeiro porque ele nunca passava desapercebido, um homem com proporções um tanto quanto avantajadas, seus dois metros e dez de altura, sua cintura larga e seu grande cabelo branco o destacavam do padrão humano e até do padrão dos anciões, que normalmente eram senhores baixinhos e carecas, mas nem por isso ele se constrangia em ser o mais expansivo, estabanado, engraçado e na mesma proporção bondoso e caridoso. Era exatamente esse olhar que constrangia a todos, seu olhar de amor e de cuidado que saia de dentro daquela estrutura quase que arquitetonica de autoridade e força bruta, sua voz exala-va carinho, seus cabelos sempre bem presos por cordas de feitas de galhos de trigo e seu grande manto de couro gasto e velho. Tudo isso compunha alguém fora dos padrões e que normalmente não se encaixava aos lugares, por isso ele sempre era um passageiro, aquele que chegava, fazia suas atribuições, normalmente ia alem das suas responsabilidades e depois ia embora. Estávamos acostumados a chegada de tempos em tempos do Jovem Ancião, jovem na contagem dos anciões, porque ele já tinha seus bons 8201 anos, passando por 2 grandes Eras do Poder, o que fazia com que ele tivesse uma grande expectativa por essa nova Era onde pudesse talvez finalmente viver uma Grande Era da Vida.

Naquele ano a terceira estação finalmente chegou e com ela a expectativa pela chegada de Nrar, como era conhecido o ancião, mas da mesma forma que chegou a desejada estação das flores, ela veio, se foi e estranhamente não trouxe Nrar. As árvores, que sempre eram as primeiras a saber das coisas começaram a perguntar o porque de Nrar não ter vindo naquele ano e logo as perguntas se espalharam e mais do que perguntas movimentarem o ar, as duvidas que se tornaram indagações angustiosas, gerando algumas historias e lendas sobre o que teria realmente acontecido ao jovem esperado. Visto que ele nunca faltava com esse compromisso de fundamental importância as pessoas do vilarejo começaram a por em duvida a fidelidade dedicada de Nrar e que finalmente ele havia feito o que a sua aparência indicava, finalmente Nrar tinha traído a confiança da terra. Tal como os descendentes de sua tribo, Nrar era da tribo de Haduj, um povo que não era digno de confiança, visto que pela natureza de seus ascendentes, pela natureza de seu Pai maior, Hajduj’O, um dos que traíram o Clã da Luz, era de se esperar que logo Nrar aprontaria alguma, era do feitio de seu povo, era característico dos traidores um dia se revelarem e abandonarem o seu chamado maior.

… continua …

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s