Apologia ao Pensamento

Publicado: março 29, 2011 em Evangelho, Textos

Não é mais todos os dias que eu me encontro naquela minha revolta sem causa da adolescência, vejo que naquela época era algo vazio e realmente sem propósito e por isso eu posso ter perdido o foco de fazer as coisas de forma coerente e mais impactante. Mas isso tudo me ensinou que eu devo ter argumentos, que eu devo estar munido de justiça, viver a verdade e ser coerente nas minhas palavras e nas minhas atitudes.

Lembro de me sentir sozinho na maioria das vezes no dia-a-dia, tipo ser hostilizado por pensar diferente, ser alvo de bullying por não me adequar aos padrões impostos pelo o que era tido como normal. Como brasileiro sou “obrigado” a gostar de futebol, a falar de sexo o tempo todo e gostar de samba???

Infelizmente isso é basicamente o que permeia a sociedade em que vivemos e por muitas vezes isso invade escalas sociais onde jamais esperaríamos que acontece-se. Não vou dizer que dentro da igreja estamos sujeitos a esses mesmo temas, estou falando da mediocridade dos temas. Nunca fui o santarrão, pelo contrario, durante muito tempo procurei atrair a atenção pra mim sendo a ovelha negra da família e passei a me identificar muito com a passagem Bíblica de Balaão, que mostra a capacidade de Deus poder usar o que é tido como avesso para a Sua vontade soberana. Mas de uns tempos pra cá tenho ficado feliz em perceber que o dom do pensar é algo que Deus quer dar pra todos, isso é um sinal da devolução da honra de Cristo para nós e talvez durante alguns anos da minha vida eu carregava a sensação de que poder elucubrar fosse uma maldição e isso sim é um pecado de rebelião contra a criação.

Não quero aqui criar e pregar a anarquia do pensamento, ou tentar racionalizar o evangelho, longe de mim isso, mas estou indo contra ao pensamento raso, indo contra as coisas que temos ouvido de um evangelho pra todos as pessoas, livre de conceitos, livre de verdades, livre de limites, livre de bases solidas. Jesus nunca pregou um evangelho pra gente estúpida e vazia; Costumam confundir simples de coração com falta de instrução. A Bíblia nos mostra que os dito simples de coração não eram os aristocratas ou fariseus da época de Cristo mas isso em ponto algum quer dizer que o Evangelho não é para pessoas que tem conhecimento e procuram a sabedoria. Hoje eu acredito que o Evangelho é muito mais capaz de convencer um letrado do que um fanático analfabeto.

O que faço aqui é uma apologia ao estudo, uma incitação a busca pelo conhecimento, não como culto, não como meio de vida, mas sim pelo motivo de sermos criados com esse motivo. Criados para pensar, criados para ansiar por sabedoria, criados para sermos sensatos, não juízes, porque o que tenho visto é que quanto mais aprendo mais eu reconheço o quão limitado e vazio eu sou. Aprender mais de Deus e da criação me faz perceber o quão soberano é esse Deus que pensou tudo isso, o quão digno de honra e glória é esse Pai Eterno e o quão pequeno eu sou ante essa soberania.

As pessoas confundem superficialidade com simplicidade. Ser superficial não é ser simples e ser complexo não é ser complicado.

Jesus era a fonte mais inesgotável de sabedoria plena e ainda assim era o Amor da forma mais simples, impactante e pura… quero ser assim!!!

Graça & Paz

comentários
  1. Michelly disse:

    Que sincero esse Murilo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s