Justamente Santo

Publicado: abril 12, 2011 em Hegrarn, Textos

Muitas vezes criamos rituais e nos tornamos místicos por conta de acreditar que isso seria uma forma de exercermos a santidade, nem todos são místicos e nem sempre o misticismo é algo negativo, podendo até levar a um bom termo. Mas o que é fato é que quem pratica o misticismo de forma alguma automaticamente pratica a santidade.

Misticismo não esta vinculado a santidade e santidade não esta vinculada a misticismo, não existe essa reciprocidade. Posso ser santo sem estar envolto em um invólucro místico e sinceramente prefiro assim.

O misticismo em si, segundo alguns dicionários, não chega a ser algo ruim, pois denota “a crenças filosóficas ou religiosas, um desapego de si mesmo em nome de algo divino”. Mas existe um pequeno adendo a isso: o “fanatismo”. O Fanatismo gera uma necessidade de auto-manifestação, o fanático precisa aparecer, ele precisa se fazer presente, ele precisa estar em evidencia e ser notado, vide os atentados suicida – vide as manifestações em polvorosas de alguns grupos radicais. Mas isso pode se manifestar de forma singular e intensa dentro da nossa sociedade religiosa e a Bíblia nos admoesta quanto a isso quando fala dos fariseus orando em voz alta nas praças, doações financeiras que não compreendiam sinceridade… Fora as doutrinas de muitos grupos, que por pratica-las a tanto tempo, se tornaram “sacras”, mas que não foi Deus quem as santificou: como o não uso de roupas e jóias, vocabulário diferenciado – coisas humanas as quais não quero julgar aqui.

Cada um dará conta dos seus próprios pecados e não cabe a mim esse julgamento. Estou tentando aqui visualizar o que é santo, o que é sacro para Deus e isso passa longe de muitas práticas que acabamos vivendo. Creio que a santidade é algo proveniente integralmente pela existência no centro da graça de Deus, e tal como Deus, a santidade não se encaixa num formato de misticismos e costumes. Achar que Deus vai agir de uma determinada forma mediante a uma dada circunstancia é limitar o poder imensurável e criativo de Deus e assim acredito que a santidade não se basta em apenas um tipo de existência. Creio que existem limites para qualquer cristão e isso é Biblicamente comprovado e é de onde devemos tirar as nossas limitações, mas é a partir daqui que eu encontro o lado ilimitado da santidade:

Há alguns dias atrás, fui desafiado a pensar sobre a santidade dentro das nossas praticas diárias, então comecei a buscar na Bíblia versículos que descrevessem a santidade para nós. Santidade é algo que chega a ser etéreo, no sentido de que não é visual nem palpável humanamente falando, pois se trata de uma pratica mental, intelectual e por fim física. É  um estilo de vida! Mas como podemos definir esse estilo de vida?

Muitos versículos que encontrei falavam de uma SANTIDADE  ligada a JUSTIÇA:

“Em santidade e justiça perante ele, todos os dias da nossa vida.” – Lucas 1:75

“E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.” – Efésios 4:24

Comecei então a perceber que a pratica da justiça, o fato de ser justo perante Deus, começa a nos tornar homens santos. Observe que o que estou falando aqui é que é assim perante as coisas de Deus. Podemos ser justos humanamente falando dentro de um contexto político, sócio-economico entre outros fatores e mesmo assim não sermos santos perante Deus. Mas uma justiça por frutos do espirito (Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. – Gálatas 5:22) aí começa a comprometer em santidade. Ninguém pratica obras do espirito sem buscar a santidade e nessa justiça santa são confirmados os caminhos “Os passos de um homem justo são confirmados pelo SENHOR, e deleita-se no seu caminho.” Salmos 37.23 (tradução livre).

Passamos a testificar o que esta escrito em Romanos 6.19 “Falo como homem, pela fraqueza da vossa carne; pois que, assim como apresentastes os vossos membros para servirem à imundícia, e à maldade para maldade, assim apresentai agora os vossos membros para servirem à justiça para santificação.” Saímos do estado de fraqueza terrena como éramos antes da manifestação do perdão e da graça, e a partir dai a maldade expurgada da nossa existência. Passamos a existir em justiça que gera a santificação.

“Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção… – 1 Coríntios 1:3

Busquemos a sabedoria da palavra, que nos tornara justos em graça gerando a santificação de Cristo que ira nos regenerar dos nossos pecados para a eternidade.

A santidade traz a constante consciência de que estamos sempre sujeitos a queda, o contrario disso não é santo nem puro. Pessoas pecadoras costumam acreditar que não caem, quando já estão no chão.

“Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.” -Hebreus 12:14

Buscando ser Justamente Santo para poder ver Jesus!

Graça & Paz

comentários
  1. […] alguns dias atras lembro de ter escrito um paralelo entre Santidade e Justiça e isso vem se confirmando dia após dia ao ler a Bíblia, vou descobrindo muitos […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s