Anotações sobre a Fé

Publicado: agosto 18, 2011 em Evangelho, Textos

Comecei a mexer num caderno de anotações e encontrei algumas frases antigas que eu escrevi e inclusive já publiquei aqui. Logo no inicio dessa antiga publicação eu escrevi: “…na minha cabeça cada frase dessas que seguem dariam um texto gigante…”; Como são pensamentos de um mesmo momento, essas frases acabam se conectando em um mesmo tema, direcionando para uma mesma ideia.

A idéia central é a fé firmada em verdades, mas acima de tudo, lemos na Bíblia que: Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.” – Heb. 11.1. Pensando nesse texto e tentando entender muitas ocasiões onde a fé é aplicada sobre as coisas diárias, passo a entender que a fé é uma crença sobre as crenças, explico: Você pode acreditar em leis físicas, mas a fé pode coloca-las em descredito, você pode acreditar na medicina, mas a fé pode fazer das verdades da medicina apenas uma pano de fundo para sua atuação miraculosa. Jesus diz que através da prática da fé faríamos coisas maiores do que Ele mesmo havia feito. A fé é capaz de mudar toda a sabedoria humana e tornar a loucura divina (1 Corintios 1.25) em fato.

“As pessoas estudam, se tornam “pensadores” e críticos, logo viram ateus, por não entenderem tudo o que Deus é, e por não se permitirem o conceito de infinito em Si mesmo; A partir dai esses pobres coitados começam a basear seus conceitos em piadas e historias fantasiosas.”

Essa primeira frase me faz pensar na incoerência de algumas muitas pessoas, dentre elas até cristãos / teólogos que enveredam por caminhos sem volta e sem lógica. Insisto em dizer que não prego a ignorância, pelo contrario a busca do conhecimento é tida como algo incentivado por Deus, afinal ele é o Pai da sabedoria. Mas algumas pessoas dedicam suas vidas a entender o que não nos foi revelado, e pior do que isso, renegam o conceito principal do cristianismo que é acreditar no milagre da salvação e na maior incoerência de todas que é o sacrifício de Cristo. Essa é uma lógica que não é humana, não faz sentido alguém pagar os pecados de outra pessoa com a própria vida. Quando você passa a prestar atenção só na lógica, se baseando nas lógicas humanas, sem a luz da sabedoria divina, acaba entrando num terreno muito arriscado baseado em verdades humanas que uma hora ou outra se desviaram das verdades eternas de Deus. Em pouco tempo passará a criar lógicas concorrentes ao sentido da fé que se baseia no poder do sobrenatural e a partir dai o natural será o seu terreno, um lugar bem raso diante da eternidade de Cristo.

“A fé imaginativa é muito poderosa, intensa e crível, parece que a imaginação nos permite que tudo se torne plausível, mesmo que seja absurdo demais. Logo a fé sem Cristo é calabouço de aberrações.”

A fé não é um campo minado quando se baseia em Cristo Jesus, tudo se fez nEle, afinal Ele é o verbo onde tudo se tornou ação, tudo se tornou real a partir de Cristo no principio. Toda a criatividade do universo se baseia na mente de Deus que imaginou tudo em moléculas sub-atómicas que vieram a gerar o infinito criativo. Satanás sempre com intenções de roubar a criatividade tenta subverter a criação soberana, dando distorções a perfeita obra de Deus, dizer que alguém tem fé em algo que não se baseia em Cristo Jesus é acreditar em lendas distorcidas pelas mãos do mal. Fé é acreditar em algo que não se ve, mas que no plano espiritual já existe, não creio que possa se denominar fé algo que não se baseie numa revelação do coração de Deus para nós, pra mim isso é pensamento positivo, mitologia ou qualquer outra crendice humana, sem base, sem verdade, sem sentido, sem motivo e que nunca vai vir realmente acontecer.

Fé, como a Bíblia diz é algo baseado em ações, não só sentimentos “fé sem obras é morta!”, as necessidades podem ser as mesmas, mas a forma de interagir com elas podem ser totalmente diferentes: uma é a fé baseada na vontade de um coração alinhado ao do Pai, a outra forma é só uma vontade egoísta e cheia de humanidade falível.

“O que define o conceito de mistério já é por si só de difícil compreensão, por tanto torna-se mais fácil não procurar entender um Deus de Mistérios, como o nosso. É melhor esconder esse “Mistério” do que explicar isso ao publico e tornar habitual um Deus Gigante.”

Como escrevi a pouco a fé se baseia em obras, atitudes de doação, dedicação, altruísmo e atitude, mas isso tem pouco a ver com doar grandes quantias financeiras, quantidade de tempo em cima de uma montanha ou qualquer tipo de sacrifício humano. Um dos meus versículos prediletos diz que “obediência quero mais do que sacrifício”. Quando leio essa passagem vejo a fé em obras como sendo algo diferente de somente físicas, mas atitudes baseadas em desafios intelectuais, baseada em crença, baseada em obediência mediante a fúria que nos assola ao redor.

Pense em Pedro em meio a tempestade, visualiza um “fantasma”, reconhece esse fantasma como Cristo, seu amigo, e pergunta “Jesus, posso ir ao seu encontro?” Jesus então responde “VEM!” Percebe a obediência? Se Jesus quisesse o sacrifício de Pedro ele diria: Põe um colete salva-vidas, amarra uma corda em seu corpo e venha nadando até mim” isso seria sacrificial a Pedro, mas o que Jesus pediu foi obediência, Jesus disse “VEM” Pedro saiu do barco e foi até Jesus e sua fé foi justificada.

Na fé há pouco questionamento, existe sim obediência, obediência fora da medida e isso é difícil de entendermos, quando estamos acostumados a sacrificar, é mais fácil pra nós entendermos o fazer em prol de algo, é mais fácil pra nós tentar dar uma ajuda a Deus do que deixa-lo agir a cima das nossas capacidades. O mundo procura fazer com que resolvamos todos os nossos pensamentos sem o mistério divino, é mais fácil tentar empacotar Deus numa caixinha e etiqueta-lo conforme o que entendemos, porque se tornaria algo incontrolável podermos ter acesso a um Deus Gigante capaz de morrer pra que ficássemos com Ele pra sempre.

Por fim quero dizer que viver por fé não é ter uma atitude irresponsável diante de todos os problemas que nos sobrevierem, viver por fé tem a ver com a concepção de um ideal ser antes o sonho de Deus para nós. Quando obedecemos, seguimos a vontade soberana do Pai, mesmo que o sonho de Deus seja tão louco quanto ir-mos de encontro a Jesus por sobre as águas de uma tempestade.

Graça & Paz

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s