O Modelo de Deus

Publicado: outubro 11, 2011 em Diversos, Evangelho, Textos

“Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações. Todos estavam cheios de temor, e muitas maravilhas e sinais eram feitos pelos apóstolos. Todos os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade. Todos os dias, continuavam a reunir-se no pátio do templo. Partiam o pão em suas casas, e juntos participavam das refeições, com alegria e sinceridade de coração, louvando a Deus e tendo a simpatia de todo o povo. E o Senhor lhes acrescentava todos os dias os que iam sendo salvos.” – Atos 2:42-47

Confesso que essa postura dos nossos irmãos na fé, que serviam na igreja de Atos, é algo muito louco e intenso pra mim. Tamanho a fé, a devoção, a entrega e o sentido fiel do serviço ao cristianismo intimo, que se baseia em servir ao próximo.

Nesse ultimo fim de semana fui agraciado com uma mensagem do Carlos Alberto Junior, que fazia uma comparação entre o povo de Atos x o povo de Babel.

A igreja de Atos ficou conhecida por ser uma igreja onde todos os seus membros tinham tudo em comum: posses, bens financeiros, amor, devoção, fé … a presença do Espirito Santo os tornava UM, totalmente o oposto do povo de Babel que tinha como interesse próprio sua razão central de existência: “cada um por si e Deus por ninguém” … algo muito próximo do que vivemos nos dias atuais.

Esses dois grupos de pessoas tem muitos aspectos que estão diretamente opostos entre si, vou tentar enquadra-los:

Igreja de Atos        x        Babel

Modelo de Deus               Modelo do homem

Comunidade                    Sociedade

1 Só língua                     Confusão de línguas

Partilhar                         Dividir

Dentre esses fatores que consegui organizar nesse raciocínio, um deles se destacou de uma forma muito especial pra mim, a Língua. A igreja de Atos foi estabelecida em meio ao um movimento espiritual que jamais havia acontecido sobre a terra, algo sem precedentes: a manifestação do Espirito Santo nos dias de Pentecostes. Algo que evidencia esse momento foi o Batismo com o Espirito Santo, carimbado pelas Línguas Estranhas (ou língua dos anjos). O que importa é que no momento em que as pessoas se tornaram um só corpo unidos com Deus, Deus lhes devolveu a língua original dos céus, para que assim falassem diretamente no idioma do Reino Celestial. Em paralelo vemos a confusão estabelecida em Babel que fugiu totalmente da unidade do Reino de Deus, que por sua vez dividiu povos e nações com uma confusão de línguas no meio daquele ajuntamento egoísta.

Fica claro pra mim que Deus quer falar conosco de uma forma que venhamos a entende-Lo e que possamos entender o outro, o nosso próximo. Quando vivemos para Deus de coração passamos a viver para o outro, e isso é Bíblico.

Babel foi uma reunião de homens em torno do egoísmo, em torno do “eu”, em torno do interesse próprio. A igreja de Atos partilhava tudo, sua existência era em torno do amor e da cumplicidade. Vivemos num mundo onde o modelo de existência é baseado na confusão declarada de Babel, homens correndo atras de suas necessidades egoístas, sem tempo para olhar pro lado e para o próximo, indiferença a dor alheia, homens que se firmam em seus próprios problemas, suas necessidades se tornam enormes, porque é só isso que lhe interessa. A cura do psique, os desvios mentais…, tudo se intensifica na dependência do eu egoísta, quando na verdade se passássemos a nos importar com o próximo nossos problemas cairiam na banalidade e ficariam sem importância. Fico pensando em como deve ser frustrante pra Deus enxergar-nos vivendo ao avesso do seu projeto original de comunidade em unidade, como um cão girando em círculos, correndo atras do próprio “rabo”. Alguém pode vir a dizer como essa afirmação soa grosseira e anti-santa, é obvio que é uma termologia grosseira mas não chega nem perto da estupidez que é a nossa existência caótica e burra diante de tudo que Deus tenta nos ensinar. Mas essas palavras chulas ilustram bem a nossa existência egoísta: corremos atras de algo travado em nós, perdemos o sentido e a lógica existencial correndo atras de nós mesmos e no fim das contas não conseguimos sair do lugar e não chegamos a lugar nenhum, e nem sequer mudamos nossas vidas.

A Bíblia é o manual de vida do cristão, do que fazer e do que não fazer, porque Deus não deixa duvidas da forma de carater que Ele espera de nós. A Bíblia não é um romance de milenios, permeado de efeitos especiais. A Bíblia é a história da humanidade, concebida santa, que se perdeu, que caiu e que pecou, mas que recebeu uma segunda chance, a chance da redenção através de Cristo Jesus, sacrifício vivo por nós. A Bíblia conta história de pessoas que agiram de forma errada, mas também de pessoa que agiram da forma correta…, o que Deus abomina versus o que Deus espera de nós com ansiedade de amor.

Que a nossa busca seja de alegrar o coração de Deus numa existência segundo a sua palavra, conforme a historia dos séculos nos ensina a agir, para isso temos o Espirito Santo como mestre e guia, podemos até falar a língua dos céus se assim buscarmos, mas creio que mais do que isso devemos buscar o batismo do Amor, só assim passaremos realmente a viver segundo os interesses do Reino e não do nosso ego.

Nossa vida só será marcante quando aprendermos a deixar marcas nas pessoas, sejam elas boas ou ruins!

Graça e Paz

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s