Mudando pra sempre

Publicado: novembro 1, 2011 em Evangelho, Textos

Nosso país tem passado por um fenomeno de evangélicos entrando em todas as áreas: políticas, musicais, intelectuais, esportivas, poéticas, televisivas…, e muitas vezes percebemos que por meio de algumas pessoas somos envergonhados, pessoas que escandalizam o nome de Jesus, das formas mais absurdas e insanas possíveis.

Creio que infelizmente as palavras de confissão e rendição: “Eu aceito a Jesus Cristo como o Senhor da minha vida!” foram banalizadas, se é que foram ditas. Lembro de ver alguns apelos em fins de culto, quando eu era criança, onde as pessoas que iam lá na frente do púlpito, tinham de fazer esse ritual de reconhecer a Cristo como o Senhor da sua vida, com suas palavras de uma forma bem articulada: de joelhos e em alto e bom som. Achava aquilo um tanto quanto demais, confesso, mas hoje quando na minha igreja eu vejo os pastores praticarem esse rito, fico extremamente feliz, porque a vida cristã, ainda mais a nossa vida como cristão no mundo atual, deve ser realmente iniciada e mantida nesse posicionamento: “de joelhos e confessando através de atitudes o que somos”!

O que me deixa mais triste é que se perdeu a noção do que é que pronunciar a sentença “Cristo como Senhor da minha vida” Nos primórdios do cristianismo isso queria dizer estar disposto a morte pelo o que se acreditava, a entrega total de tudo o que se era em prol de uma nova consciência de existência que iria perdurar a vida toda. Hoje as pessoas se convertem como se trocassem de roupas, algo que se suja e bota pra lavar e põe uma nova depois. A figura pode ser pesada mas é coerente quando vemos que a existência cristã não é algo externo, algo que se vê somente, primeiro mudamos internamente, de dentro pra fora, é isso que vai tornar as nossas vestes alvas mais que a neve, o sangue de Cristo nos perdoando, vertido sobre nós, nos tornando lavados e remidos, só assim será mudado o que somos exteriormente (e se Deus achar que devemos mudar por fora, as vezes Ele tem interesse que mantenhamos as cicatrizes), a mudança não é só um discurso de palavras, mas de existência.

Parece-me que as vezes as pessoas que dizem que aceitam a Cristo estão dizendo a Ele: “vou te dar um credito cara, vamos ver o que você pode fazer por mim”, quando Cristo já fez tudo e foi além, quem devia se colocar na posição de aceitação seria Cristo. Por mérito nós não merecemos nada, muitas vezes colocamos Cristo na parede como se tivéssemos direito a isso, e o pior, fazemos isso no momento de decidir por Ele. E por uma graça que não consigo entender, mesmo assim Ele nos aceita, nos ama, nos suporta e tenta nos ensinar.

Quando aceitamos a Cristo devemos entender o sentido das palavras que estão escritas em 1 João 4.17 “Segundo Ele é, também nos somos neste mundo”.

Nossa aceitação de Cristo implica em: aceitamos os Seus amigos como nossos amigos, Seus inimigos se tornam nossos inimigos, os Seus caminhos serão de agora em diante os nossos passos, e a Sua rejeição será a nossa rejeição, a Sua cruz será a nossa cruz, a Sua vida como a nossa vida e a Sua eternidade como o nosso futuro.

Isso quer dizer que devemos deixar as praticas existências do passado e nos tornarmos a existência integra de Cristo aqui na terra, isso inclui mudança radical de vida, quebra de laços e relacionamentos antigos, mudança estética é muito pouco comparado a mudança de carater que será iniciada. Mais intenso ainda deve ser a mudança de pessoas como eu, que nasceram em um lar cristão e foram criadas num conceito pratico de dia a dia cristão, porque isso não implica em deixar de falar palavrões ou agir de determinada forma, isso requer uma mudança muito grande no intimo, no coração, a busca do perdão pelos pecados conscientes contra o próximo e contra si mesmo, a mudança de atitudes pequenas mas que representavam a ausência de Cristo.

Penso que essa seria a maneira mais justa de se fazer um apelo a um interessado a aceitar Cristo. A melhor forma de se iniciar a pratica da vida cristã é mostrando a verdade brusca dessa decisão, porque se não fizermos isso, pode ser que essa pessoa fique com uma profunda angustia espiritual em pouco tempo e a sinceridade do anseio pela presença de Jesus em sua nova vida seja frustrada e perdida para sempre.

“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” II Corintíos 5:17

 Graça & Paz

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s