Onde Ele quer Habitar

Publicado: setembro 25, 2012 em Diversos, Evangelho, Literatura

Faz algum tempo eu tenho sido impelido a pensar e escrever sobre a personalidade humana, e isso vêm estando explicito na maioria das ideias em que tenho me envolvido à trabalhar. Os homens normais, aqueles que têm pensamento e se dedicam a consciência inspirada pelo divino e impulsionadas aos instintos celestiais da busca da sabedoria, logo se vem como personalidades comprometidas com personalidade. Entendo que alguém que racionaliza o conhecimento só pode adorar um deus que tenha atitude, por isso escrevo deus com letra minúscula, porque o deus de muitos não tem personalidade, é impessoal, não dotado de pensamentos e razões, sendo alguém vazio, distante e sem individualidade, literalmente uma presença que pode ser ignorada.

Como adorar alguém sem conteúdo à se conhecer? É como se envolver com alguém que nada nos agrega, que nada nos constrói e inspira. O mais triste é perceber que estamos rodeados de pessoas que se relacionam com Deus dessa forma, não buscam o conhecimento de Deus porque não querem ser por Deus conhecidos, não leem a Bíblia porque isso tocaria nas feridas pecaminosas do seu espírito e isso mostraria a si mesmo e a Deus todas as suas falhas. Como se os nossos pecados pudessem ser a Deus ocultos.

Creio num Deus de vontade própria e de inteligência infinita, que nos sonda e nos conhece, mesmo que fujamos da Sua presença. Fico extasiado ao perceber que quando me apresento para ser conhecido por Deus passo a me conhecer mais profundamente, percebo minhas limitações e minhas dependências e me expondo, posso buscar-me na disciplina e harmonizar a minha vida com a vontade de Deus.

Fui desafiado certa vez a falar sobre o batismo nas águas e algo que ficou muito claro em meu coração é que não há nada de sobrenatural no ato em si, é apenas uma manifestação publica do nosso coração, mas é exatamente nesse lado racional desse testemunho que se encontra o grande detalhe desse momento. A Bíblia nos ensina que é melhor não fazermos votos do que votarmos e não cumprirmos (Eclesiastes 5.5) e quando estamos ali no ato do batismo estamos testificando aos homens, aos anjos e a Deus um voto de sermos definitivamente o templo do Espírito, isso é um juramento, um voto, e mentir aos homens, aos anjos e principalmente a Deus é um pecado que creio que não gostaríamos de cometer.

A disposição da santidade diária nos leva a caminhar por caminhos difíceis e estreitos, mas nos leva também a uma comunhão profunda e enraizada com Deus, porque Ele fará morada no nosso coração e assim quando nos deitarmos podemos sim ter uma conversa com o nosso coração ou apenas ficar quieto e Ele vai nos compreender, podemos falar com Ele numa vigília na noite mais pesada e assim aprendermos como Ele quer que sejamos. Buscar e trabalhar para prepararmos a habitação para Ele.

Pensando na pessoa do Espírito Santo, doce, amável, educada, humilde, fico buscando como seria a morada perfeita para Ele. Creio que seja difícil Ele vir habitar num lugar cheio de duvidas, desvio de caráter e distante do conhecimento da sua própria natureza como criação de Deus. Não admito conhecer o perfeito lugar que agrade a Deus habitar, mas definitivamente não vejo o Espírito Santo buscando morar num condomínio tipo pombal onde todas as casas são iguais. Creio que Deus se sinta bem habitando na individualidade pessoal de cada ser que Ele criou.

Ele pede somente um coração puro e uma mente sem duvidas escusas. Não pede sacrifícios, nem tesouros terrenos. Vejo um Espírito mais preocupado com sinceridade mesmo que seja pra confessar pecados, transparências mesmo que elas mostrem os obscuros da alma, humildade mesmo que seja no ser mais rico da terra e amor, amor profundo e sincero pela intimidade com Deus, o resto… bom o resto Ele tudo há de prover.

Graça & Paz

comentários
  1. Seu texto me fez lembrar de Efésios 2:19-22

    “Não é maravilhoso? Vocês já não vivem andando sem sentido, como exilados. este Reino de fé agora é a casa de vocês, a sua própria terra. Não são mais estrangeiros nem gente de fora. Vocês pertencem ao Reino, com todos os direitos que o nome cristão permite. Deus está construindo uma casa. E, nela , ele usa todos, independentemente de como chegamos aqui. Ele usou os apóstolos e profetas como fundação. Agora usa vocês, colocando-os como que pedra por pedra – um santo templo construído por Deus, todos nós nele incluídos, um templo onde Deus está de fato em casa.”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s